Renato Câmara diz que votação aumenta responsabilidade

 
Divulgação / Diário MSDivulgação / Diário MS
Por: Diário MS

Reeleito deputado estadual como o quarto mais bem votado entre os 24 que irão compor a Assembleia Legislativa a partir do ano que vem, Renato Câmara (MDB) visitou o Diário MS ontem para agradecer à população pela expressiva votação e reafirmar o propósito de seguir trabalhando em favor de todos os municípios do Estado, notadamente da região da Grande Dourados.

Renato Câmara foi reeleito com 33.292 votos, sendo 9,375 deles somente em Dourados, onde foi o segundo mais bem votado. Citou que além de manter o gabinete sempre aberto para "construir aliados e ações", tem base em vários municípios, com dezenas de vereadores aliados.

O deputado disse que a expressiva votação só aumenta a responsabilidade, principalmente com Dourados, "temos o compromisso de trazer soluções para problemas antigos". Disse que o mandato será mais pautado nas audiências públicas e que já tem várias programadas para discutir, por exemplo, a questão do financiamento da saúde e questões de obras importantes que precisam ser executadas. "São vários temas que estaremos discutindo e apontando soluções. Vamos trazer a população para participar mais do nosso mandato", falou.

Indagado sobre planos futuros, como as eleições municipais de 2020, o emedebista disse que ainda é cedo e que é um tema para se discutir mais á frente. "O mais importante agora é nós discutirmos a solução que a população nos pediu nesta campanha eleitoral. A população mudou, ela está mais participativa, ela quer debater a solução dos problemas. E nós temos levantado várias situações que levaremos para a Assembleia para buscar a solução", disse.

Renato Câmara avalia que a prisão do ex-governador e candidato ao governo, André Puccinelli na largada da campanha, o lançamento relâmpago da candidatura da senadora Simone Tebet, que logo desistiu e escolha do deputado Junior Mochi, que tinha reeleição garantida, acabaram atrapalhando o desempenho do MDB nessas eleições, "mas ainda assim conseguimos três deputados estaduais chegarem à reeleição".

Sobre o segundo turno das eleições para o Governo do Estado e a Presidência da República, o deputado disse que o partido iria se reunir ainda ontem para discutir qual o caminho o partido irá seguir. Sobre a eleição presidencial, avalia que foi resultado da insatisfação popular, e que polarizou entre uma candidatura da direita e uma da esquerda e que agora vem o grande debate. "Foi uma eleição totalmente atípica. Os partidos que são do centro, como PSDB e o MDB, se enfraqueceram. E os mais à esquerda e os mais à direita acabaram se fortalecendo. Estamos vendo uma polarização da direita e esquerda como nunca vimos na historia recente do país. Eu acredito que o centro é uma opção mais equilibrada, onde não há radicalismo. Mas eu acredito que agora, neste segundo turno, vamos discutir quais as propostas para agregar o centro e aqueles mais moderados".